terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

à segunda vista.

no meio da rua cheia de gente ela disse que achava lindo o menino do outro lado, com cara de argentino safado. ela tomou um gole da caipirinha com bastante açúcar, encarou-o, tragou o cigarro e desviou os olhos com um jeito de que ele no mundo não importava tanto.
entraram. e enquanto ela dançava, ele se aproximou e beijou sua amiga.
foi no banheiro, retocou o batom e pensou naquele natal infame como se fosse o pior de sua vida, num Pub sujo nos undergrounds da cidade; e ainda haviam cinco cervejas no balde a serem liquidadas. é o que tinha pra hoje.
afastou-se. foi até a mesa mais longe, do canto mais longe, o mais longe possível da luz. sentou. outro cigarro acendeu, pensando que havia odiado o que papai noel trouxe nesse natal: um saco, dos grandes e bem vazios.
daí veio um cara com o sorriso bonito e disse umas palavras baratas. ignorando, pensou "que saco". na penumbra não dava pra ver muita coisa. só deu pra ver quando ela se apaixonou à segunda vista e saiu de mãos dadas de lá com o moço do sorriso. azar ou sorte? só a vida vai dizer.

4 comentários:

Leandro Luz disse...

Esses dias eu estava pensando justamente sobre isso... em "amor à segunda vista". Em como eles podem ser bem mais sinceros e darem bem mais certo do que os de primeira!

:D

Leonardo Xavier disse...

Eu acho que amor de verdade só a segunda vista. Se for a primeira é ilusão... porque provavelmente se vai estar projetando coisas demais na pessoa amada.

Arathane disse...

nossa amigaaaa qto tempo sem vir aqui rsrs me desculpe ... estava em crise criativa messssmmmmooo vc sabe né ... mas ... estou de volta !!! como aqui tá diferente !! lindo layout !!! ai que saudadeeees !!! bjooooo

Marcélia Macidália disse...

à segunda, à terceira...importa mesmo é que seja amor.
Gostei muito do teu espaço e voltarei mais vezes.
Que tal conhecer o Boatos e Afins?

Super beijo